História de Vagas Cabo Verde

Olá! Me chamo Isaías Cardoso e essa história é contada na primeira pessoa, pelo fato de o Vagas Cabo Verde não ser uma empresa, é um projeto pessoal hobby, só tem um "cara" por trás dessa plataforma.

Eu voltei do Brasil, onde me formei em Administração de empresas, no ano de 2014. Mais precisamente, no mês de Janeiro de 2014. Fiquei uns dias na Praia com meus irmãos e rumei para a ilha do Fogo, minha terra natal.

No Fogo, passei apenas três meses e pelo fato de estudar fora do país, precisava fazer a equivalência de meu Certificado de curso, tinha que voltar à capital do país. 

Nesses três meses em casa com a família, eu costumava sair e conversar com algumas pessoas sobre o mercado de trabalho. Teve até um professor do liceu que me disse que se eu tinha voltado do curso apenas com uma licenciatura, que eu deveria fazer minhas malas, retornar ao Brasil, fazer um mestrado e só depois voltar para Cabo Verde. O que o professor não sabia é que eu tinha passado seis anos no Brasil para fazer um curso de quatro apenas, por dificuldades financeiras. Fazer um mestrado era uma outra questão que não estava em minha mente no momento, porque já estava cansada de tanto "passar mal", que eu queria só um pouco de paz, longe de sala de aula e livros. O mestrado? Algum dia se eu quiser, pensava.

Esse período de pesquisa de mercado de trabalho mudou toda a ideia que eu tinha em mente sobre oportunidades de trabalho em Cabo Verde. Diferente do que pensei depois de terminar o curso, eu percebi que a luta seria grande para conseguir uma oportunidade de emprego. No entanto, sendo a luta de todo recém formado, vesti a camisa e saí por aí a entregar o currículo em todo canto, na esperança de alguma empresa me ligar para uma entrevista de emprego.

Voltei para a Praia no mês de Abril de 2014, fiz a equivalência de meu Certificado de curso e comecei a procurar vagas de emprego.

Na época, lembro que eu tinha um Smartphone que um amigo me deu de presente e, sem dinheiro para colocar saldo e ativar pacotes de Internet, eu ia três a quatro vezes por semana, à Praça do Platô, acessar a Internet do Konecta e pesquisar vagas de emprego.

O único site que existia na época e divulgava vagas de emprego era o CTCV - Concursos e Turismo Cabo Verde. Site que veio a sair do ar e, me desculpem por dizer, por não conseguir se manter no ar por causa da concorrência. Segundo disseram em sua página no Facebook "alguém copiou a ideia deles". Engraçado, né? Algumas vezes escrevi para esta página reclamando dos anúncios que eram disponibilizados em um arquivo .pdf ou imagem, às vezes de cabeça para baixo, ilegível e nem se preocupavam com isso. Isso me deixava com raiva, porque o usuário importa quando você cria/desenvolve qualquer projeto Web. Facilitar a vida do usuário deveria ser uma preocupação e não apenas se gabar por ter desenvolvido a plataforma e os números de views, sem se importar com o mais importante, o usuário e a navegabilidade. E as reclamações eram muitas.

Mas, era o único site, então eu tinha que acessá-lo para se informar das vagas de emprego no país.

Na mesma época, conheci um grupo no Facebook, que existe até hoje, o grupo Procuro/Ofereço emprego, que também divulgava vagas. Mas, como as publicações eram moderadas, às vezes quando os administradores do grupo liberavam as publicações, as datas limites de candidaturas já tinham passado. E, como eu passa um bom tempo na Internet, me disponibilizei para ajudar a moderar as publicações. E, inconformado com o fato de perceber que depois de ter disponibilizado para ajudar os outros administradores não estavam colaborando, fiz uma publicação no grupo sobre a situação e sai do cargo de administrador. Posteriormente o dono do grupo até me acusou de "sujar a água onde bebi" e ter aproveitado da popularidade do grupo para divulgar o primeiro grupo que criei para divulgar vagas de emprego, o grupo Emprego & Negócios CV, em Setembro de 2014.

Na verdade, eu divulgava vagas de emprego que eu publicava no meu site, no referido grupo. O grupo era livre, certo? Então, todos poderiam fazer publicações, inclusive eu como membro; e, como as publicações eram moderadas, era só não liberar ou me remover do grupo e assunto encerrado. 

A inconformidade com a forma como o referido site e este grupo moderavam seus projetos de busca de emprego no país, me levou a criar o meu próprio projeto e fazer este trabalho. Criei o grupo Emprego & Negócios CV e uma página. E, como crio sites e blogs desde 2009, criei, também, um blog em um subdomínio do domínio de um projeto que eu tinha, para divulgar vagas de emprego.

Em 2015 ou 2016, não me lembro bem, surgiu uma outra plataforma de emprego em Cabo Verde, o Empregos CV. E teve uma história engraçada com o pessoal por detrás dessa plataforma.

Eu não sei o porquê, mas percebo que Cabo-verdianos, de uma forma geral, são egoístas, por assim dizer. Nós gostamos de dominar e menosprezar pessoas que, ou não vamos com sua cara, ou achamos que de alguma forma vai afetar o nosso business. Não sei se nos sentimos ameaçados ou não sabemos nos comportar no mercado, achando que somos os donos deste pedaço de terra. Foi o que esses caras fizeram.

Eu não sei se você sabe, mas na Internet trabalhamos um aspeto em criação de sites para motores de busca, chamado de SEO - Search Engine Optimization (Otimização para Motores de Busca), ou seja, você trabalha seu site para que os buscadores como o Google, Bing, Yahoo Search, entre outros, encontrem seu site e os indexam. E existem empresas que pagam milhões para se posicionarem na primeira página dos buscadores. E eu fazia isso, para dizer aos motores de busca que tenho um site de divulgação de vagas de emprego em Cabo Verde. E os termos que eu precisava usar era "empregos cv, empregos cabo verde, vagas de emprego, vagascv", etc. E isso não tem nada a ver com o nome de algum projeto neste mercado.

Então, pelo fato de o site que criei ser de divulgação de vagas de emprego em Cabo Verde, no título do site coloquei Empregos CV e criei uma logo com o mesmo nome, mas eu não conhecia o tal projeto Empregos CV, até porque não trabalhei em seu desenvolvimento e meu projeto já estava no ar desde 2014.

Acho que algum membro da equipe do Empregos CV conheceu o meu site e página no Facebook e viu o mesmo nome do projeto deles no título e logo. E, automaticamente, começaram com uma enxurrada de publicações na minha página do Facebook, alegando que copiei a ideia deles. Mas eu não permiti que essa conversa durasse muito, porque eu não tinha a intenção de brigar com nenhuma empresa, primeiro porque eu não tinha criado uma empresa, segundo, eu não conhecia a referida empresa, e nem sabia que nome tinham ou queriam registar. O que fiz? De uma madrugada para as 6:00 da manhã, eu tinha um novo site, com um novo domínio, mudei o nome do grupo (apenas a URL não poderia ser alterada por o Facebook não permitia que grupos com mais de 1.000 membros fizessem essa alteração), mudei o nome da página e assim nasceu Vagas Cabo Verde

Fiz isso, porque eu não tinha nenhuma intenção em copiar qualquer ideia ou nome que fosse do projeto de quem quer que fosse, mas para entenderem que eu poderia mudar o projeto de nome quantas vezes eu quiser e continuar fazendo o mesmo trabalho. Eu toco este projeto nas minhas horas vagas, por paixão e para ajudar aqueles que, como eu fazia, procuram uma oportunidade de emprego no país. E eu faço este trabalho de forma profissional, porque penso que deve ser feito assim e não há nada de errado, nem se perde nada, oferecendo uma boa ferramenta e fazer um trabalho decente que ajude as pessoas.

Teve até um cara que (fiz questão de deixar os comentários dele na página até hoje, em publicações de usuários), me disse que eu fiz muito bem em mudar o nome do projeto, e que isso mostrou que eu tinha reconhecido o meu erro. kkk Funny, né? Depois descobri que ele é irmão do dono da empresa; então, justifica-se a reclamação. Se eu copiei a ideia, eles copiaram de quem? Do CTCV (que já existia em Cabo Verde), do Emprego & Negócios CV (que eu criei em 2014), do Linkedin ou do Google Emprego? Porque plataformas de emprego existem há décadas e qualquer um pode criar um novo, se assim definir em seus projetos de vida, e ponto final. Ninguém precisa brigar por causa disso, apenas ter a capacidade de se posicionar no mercado e derrubar a concorrência, se for preciso. Não é isso que Burguer King e McDonald's fazem todos os dias? Agora, achar que só você pode criar uma empresa em um determinado nicho, isso é muita arrogância.

Depois da divulgação do Empregos CV, outra acusação: que eu "copiava as vagas" e divulgava no meu site. Sim, fiz isso, porque o anúncio é público - muitos desses anúncios eram divulgadas em ASemana, A Nação, no Jornal, etc. E outra coisa que fiz e que não se faz de graça na Internet: divulgar um outro site. Eu copiava os anúncios de vagas, e copio até hoje, mas para candidaturas, eu fáco link para o site deles. E aí, quanto tráfego eu ajudei a gerar, guys? Pensem nisso, também!!!

Em Cabo Verde, precisamos, ainda, aprender muito sobre a concorrência, principalmente negócios/plataformas digitais, porque a Web é livre; outra coisa interessante é que podemos ser parceiros e nos beneficiarmos mutuamente com isso.

Eu não cobro para divulgar anúncios de vagas, não cobro para ninguém acessar meu site e candidatar a uma vaga de emprego, então, qual seria a minha intenção em "copiar" ideias de projetos de outros se posso criar o meu com um nome distinto e tocar a ideia!? Outrossim, este projeto tem uma história, conforme contada.

Vagas Cabo Verde é gerenciada pelo projeto Kriolu Business - plataforma de ensino de marketing digital em Cabo Verde, onde ensino a criar negócios digitais. E, se alguém deseja criar uma plataforma de emprego em Cabo Verde eu posso ensinar tudo o que faço em Vagas Cabo Verde, sem nenhum problema, porque penso que quanto mais sites/plataformas existirem, melhor será para quem busca uma oportunidade de emprego no país, e eu não vejo isso como uma ameaça ao meu trabalho.

Resumindo, Vagas Cabo Verde está no ar desde 2014, apesar de ser com outro nome, mas a plataforma é a mesma, bem como o grupo e página, e vai continuar no ar enquanto eu estiver vivo, fazendo o mesmo trabalho de sempre, gratuitamente.

Hoje VAGAS CABO VERDE tem mais de 30.000 membros no grupo no Facebook e mais de 25.000 seguidores na página, crescendo a cada dia. E faço questão de ajudar a todos com informações sobre as vagas, orientações, escrevo artigos para ajudar a candidatar às vagas, etc. Faço da forma como penso dever ser, não por popularidade, mas para ajudar e não pretendo ganhar dinheiro com isso. Como alguém me disse uma vez "não vamos poder vender todo o nosso conhecimento", algumas coisas vamos ter que ensinar de graça. E é isso que faço em Vagas Cabo Verde. 

Quero ajudar mais. Um dia, se Deus assim desejar, farei muito mais para quem procura uma oportunidade de emprego no país, porque eu sei como é difícil esta luta.

Se estás procurando ou ofertando vagas de emprego em Cabo Verde, fica a referência. Participe do nosso Grupo Vagas Cabo Verde e siga nossa Página Vagas Cabo Verde.

Atualizado em 20.01.2021